Semad assina acordo para construir meliponário para abelhas sem ferrão em Goiânia


Criadouro será instalado no Parque Bernardo Élis, em parceria com Prefeitura de Goiânia, e abrigará colônias resgatadas de árvores extirpadas ou que passaram por poda. “São espécies que exercem papel fundamental na manutenção da biodiversidade”, diz secretária Andréa Vulcanis

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) escolheu Goiânia como sede da primeira etapa do projeto Meliponizar, que tem o objetivo de proteger as populações existentes de abelhas nativas sem ferrão e os habitats em que elas ocorrem. O primeiro passo será dado nesta terça-feira (23), às 8h30, com assinatura de um acordo de cooperação técnica com a prefeitura. 

Um meliponário demonstrativo será instalado no parque Bernardo Élis, que fica no residencial Celina Park. Ele abrigará colônias resgatadas de árvores podadas ou extirpadas da capital, e servirá de local para pesquisas científicas, aulas de educação ambiental e divulgação de produtos oriundos da meliponicultura. 

Entre as espécies que poderão ser remanejadas para o local estão a Jataí (Tetragonisca angustula), Iraí (Nannotrigona testaceicornis), Uruçu (Melipona scutellaris) e Tibúia (Melipona fasciculata).

“As abelhas sem ferrão são importantíssimas para o equilíbrio ambiental”, afirma a secretária de Estado de Meio Ambiente, Andréa Vulcanis. “Elas são os mais importantes polinizadores nativos e, portanto, exercem papel fundamental na manutenção da biodiversidade”.

O meliponário será instalado em parceria com a Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma) que, junto a Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), atuará no resgate dos enxames.

Os servidores destacados pela Semad, Amma e Comurg para participar do projeto passarão por oficinas de capacitação. Haverá oficinas também para difusão de práticas de manejo, fortalecimento da cadeia produtiva, profissionalização da atividade e geração de renda. “O intuito é o de fazer com que os criadores se transformem em atores da conservação da fauna e flora”, diz Inara Carolina de Paula Ribas, gerente de Conservação, Biodiversidade e Fauna da Semad.

O recurso financeiro para custeio do projeto Meliponizar virá de compensação ambiental, um instrumento que impõe aos empreendimentos causadores de significativo impacto ambiental o dever de destinar recursos financeiros para apoiar a reparação de danos decorrentes de impacto ambiental não mitigável ou para criação e manutenção de unidades de conservação em Goiás (lei 14.247/2002).  

Serviço

Assunto: Semad assina Acordo de Cooperação Técnica com prefeitura de Goiânia para construção do 1° Meliponário Público de Goiânia

Data: 23/05 (terça-feira)

Horário: 8h30

Local: Núcleo Socioambiental do Parque Bernardo Élis, localizado na Rua D-1 com Avenida César Lattes, Novo Horizonte

Foto: Pixabay



Acesse o link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade