A escola de negócios no país mais feliz da Terra

Há uma grande sabedoria na mesa de jantar. E por mais que as universidades atuem como centros mundiais de pesquisa e criação de conhecimento, ocasionalmente há momentos em que os dois mundos se encontram.

Como Timo Korkeamäki, reitor da Aalto University School of Business na Finlândia, lembra: “Eu estava trabalhando em uma pesquisa alguns anos atrás. Depois que foi publicado, contei a minha esposa sobre isso na mesa de jantar em casa. Ela ficou quieta por um tempo. E então ela disse: ‘Interessante, mas por que isso importa?’ Achei que era uma pergunta justa.

Nas palavras de Jimi Hendrix, “O conhecimento fala, mas a sabedoria ouve.”

“A pesquisa que fazemos na Aalto e nas escolas de negócios de forma mais ampla definitivamente tem um impacto”, insiste Korkeamäki. “Mas os pesquisadores não são treinados para pensar sobre como as pessoas fora de seus círculos acadêmicos reagirão.”

Que a pesquisa de Aalto tem um impacto no mundo real está bem estabelecido. O Grupo de Pesquisa em Sustentabilidade e Negócios comemorou recentemente seus 30 anosº aniversário, e os ex-alunos da Aalto University School of Business se tornaram cofundadores e CEOs de startups na vanguarda do desenvolvimento de novas tecnologias sustentáveis ​​nas áreas de captura de carbono e têxteis sustentáveis, além de seguir mais ‘tradicionais’ caminhos para grandes empresas.

“Uma grande parte do DNA da Escola de Negócios é o espírito empreendedor em nosso campus, explica Korkeamäki. “É um tema transversal a tudo o que fazemos na Aalto University como um todo. E não é apenas aprender como iniciar um negócio. Você pode ter uma mentalidade empreendedora em uma grande empresa, então é mais uma forma de pensar. E temos alguns ótimos modelos aqui. Acho que o campus da Aalto University é o número dois na Finlândia em termos de criação de patentes.”

Quando o reitor da School of Business era estudante de graduação, ele se lembra de seus colegas querendo conseguir empregos em grandes empresas e eventualmente se aposentar deles. “Agora é muito legal ser um empreendedor e isso está definitivamente aparecendo em nosso campus.”

Quando se trata de ensinar empreendedorismo e sustentabilidade, é crucial desenvolver as habilidades de pensamento criativo dos alunos. Afinal, um cérebro fértil é a sede da inovação. A Aalto University School of Business ocupa uma posição dinâmica ao lado de outras cinco escolas sob a égide da universidade geral, aproveitando ao máximo esta oportunidade para compartilhar conhecimento, com um forte elemento de interação interdisciplinar em seus programas.

“Existem muitos cursos baseados em projetos em que os alunos são, por padrão, misturados com colegas de outras disciplinas.” Timo Korkeamäki reconhece que essas podem ser experiências muito desafiadoras nas primeiras semanas, “quando os alunos não têm uma linguagem comum ou um conjunto de objetivos compartilhados. Mas há grandes jornadas de crescimento por causa disso.”

“No sentido tradicional, os graduados passam por algo semelhante quando iniciam suas carreiras”, argumenta. “Porque, como especialista em finanças, você não interage apenas com outras pessoas financeiras ou contadores. Mas acostumamos os alunos com isso enquanto estudam, o que amplia seus horizontes e os abre para além do estreito silo que escolheram estudar.”

Um desses pontos de interseção é o programa de Mestrado em Sustentabilidade Criativa, organizado conjuntamente pela Escola de Negócios, a Escola de Artes, Design e Arquitetura e a Escola de Engenharia Química. É o tipo de programa que simplesmente não existia 25 anos atrás.

“Quando você pensa no final dos anos 80, início dos anos 90, o mundo parecia tão diferente que era quase como se a sustentabilidade não existisse como uma preocupação. Estou feliz por haver pessoas inteligentes pensando muito no futuro. Aqui nos nórdicos, acho que agora não seria possível sobreviver como instituição se você ignorasse completamente a sustentabilidade. É uma atitude um pouco clichê, mas se não nós, então quem fará o que deve ser feito?”

A sustentabilidade ambiental da própria escola é um compromisso fundamental para garantir que o que se ensina também se pratica. O prédio da Escola de Negócios abriga 70 poços geotérmicos e 156 painéis solares.

“Felizmente, o mundo está se movendo na direção certa”, diz Korkeamäki, “e a Aalto University School of Business está avançando na área, oferecendo um novo programa de mestrado em empreendedorismo sustentável, com a primeira admissão em 2024”.

“Como professores, estamos sempre aprendendo com nossos alunos. Acho que essa é uma das melhores partes do nosso trabalho. E nossos alunos são muito bons em votar com os pés. Quando pensamos em nosso portfólio de programas, uma das melhores fontes de informação é onde os alunos estão, quais disciplinas eletivas cursam. Por exemplo, quando vemos muitos alunos que querem fazer programação como disciplina eletiva, isso é um grande sinal para nós.”

Se o movimento de estudantes é um indicador valioso, muito pode ser obtido do fato de que muitos estudantes internacionais optam por permanecer e trabalhar na Finlândia após a formatura. A Aalto University School of Business está atualmente colaborando com os Graduados da Escola de Negócios Finlandesa, a organização central que representa 25 associações regionais e 13 sociedades estudantis, para incentivar pequenas e médias empresas (PMEs) a contratar mais estudantes estrangeiros como estagiários.

“Na Finlândia, é muito comum que os alunos de mestrado trabalhem durante os estudos. Eu estimaria que mais de 90% dos que concluem suas teses de mestrado também estão trabalhando profissionalmente, muitos deles em tempo integral. Como escola, obviamente queremos que nossos alunos se formem a tempo. Na verdade, o governo finlandês fornece muitos incentivos para garantir que isso aconteça. Mas, ao mesmo tempo, um recém-formado Mestre em Ciências sem experiência profissional terá dificuldade em encontrar emprego. Portanto, há boas razões para adotar essa abordagem”, insiste Korkeamäki.

Nos últimos seis anos, a Finlândia foi classificada como o país mais feliz do mundo, de acordo com o Relatório Mundial de Felicidade da ONU. O país também ocupa o segundo lugar no índice Global Gender Gap, um nível de igualdade de gênero encontrado em poucas partes do mundo. Ao mesmo tempo, a própria Aalto University é a segunda entre as escolas nórdicas no ranking FT European Business Schools 2022.

“Na Finlândia, é quase um tabu se gabar de nossas realizações. Somos mais fazedores do que faladores. Ao mesmo tempo, há muito potencial neste país. Temos um dos melhores sistemas educacionais do mundo”, reflete Timo Korkeamäki.

“Muito da nossa felicidade é que temos uma grande quantidade de confiança no sistema, por assim dizer. Na sociedade. Até no governo. Não precisamos ficar olhando por cima dos ombros o tempo todo. Isso reduz o nível de estresse e preocupação.

“E não é segredo que a sociedade finlandesa abraça a igualdade. Tivemos uma presidente mulher e recentemente uma primeira-ministra. Você percebe que na Finlândia, em particular, há muita insistência na diversidade nas equipes de liderança nas salas de diretoria”, acrescenta.

É claro que as escolas de negócios desempenham um papel essencial ao fornecer o treinamento de que as jovens precisam para iniciar carreiras em indústrias estereotipadas dominadas por homens ou subir na hierarquia corporativa para cargos de liderança sênior.

A Aalto University School of Business tem um compromisso com a diversidade, principalmente aumentando o número de mulheres em seus programas. A escola envolveu-se extensivamente com alunas do ensino médio na Finlândia, com a mensagem de que uma graduação em finanças ou negócios pode criar amplas oportunidades de carreira além dos mercados financeiros. É uma chave que abre muitas portas.

“Você também toma decisões sobre como os recursos são alocados, o que oferece oportunidades maravilhosas para você fazer o bem”, diz Timo Korkeamäki.

Fazendo o bem, tendo impacto positivo, criando oportunidades iguais, tudo no país mais feliz da Terra. Agora, essas são realizações que valem a pena compartilhar.

Acesse a notícia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade