Itens consumidos na Páscoa subiram três vezes mais que a inflação em 2023


Os itens mais consumidos no período de Páscoa ficaram 12% mais caros na comparação entre abril de 2022 e março de 2023. O percentual é cerca de três vezes maior que a média da inflação do período, que ficou em 4,81%, segundo o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-S).

O levantamento sobre os produtos de Páscoa foi feito pelo Instituto Brasileiro da Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV IBRE). A pesquisa mostra que o item com maior aumento de preço foi o ovo de galinha (26,31%). Na sequência aparecem a cebola (22,76%), bolo pronto (14,51%), atum (12,97%), sardinha em conserva (11,46%) e bacalhau (10,91%). Os bombons e chocolates tiveram variação positiva de 9,65%.

Nenhum item da cesta teve recuo de preço. Os que subiram menos, no entanto, foram a batata inglesa e a couve, ambos com 2,23% de reajuste no período.

Para o economista e pesquisador do FGV IBRE Matheus Peçanha, responsável pelo estudo, o cenário ainda é de recuperação de preços. “A partir do último trimestre de 2022, os cursos começaram a desacelerar: o clima melhorou junto com a produtividade do campo, os preços das commodities despencaram, mas quando olhamos o acumulado dos 12 meses, percebe-se que ainda não foi suficiente para compensar o cenário anterior”, pontua.

O economista sugere que o consumidor esteja atento aos preços nesta semana, pois os “itens tradicionais podem subir mais ainda, dada a pressão sazonal de demanda às vésperas da Páscoa”, conclui.



Acesse o link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade