Expedições querem reforçar a proteção de peixes-das-nuvens


O nome popular sugere que caíram do céu, mas na verdade as mais de 300 espécies de peixes-das-nuvens surgem quando as chuvas fazem eclodir ovos abrigados por meses na areia, argila, lama ou cascalho. Os peixes têm menos de 10 cm e usualmente são bem coloridos.

Cada poça temporária pode abrigar, ainda, inúmeros outros tipos de animais e de plantas. Daí o esforço de cientistas para conhecer e preservar esses ambientes complexos, mas ainda encontrados em várias regiões do país. As maiores ameaças são aterros, poluição, urbanização e lixões.

Em abril, a quarta expedição deste ano vasculhou ambientes e espécies em pontos da Bahia e de Pernambuco. Outras estão programadas para o segundo semestre. As ações estão ligadas a planos federais de conservação, alinhados com entidades e governos estaduais e municipais. 

As informações são da Paradis Comunicação.  



Acesse o link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade