80% dos alimentos embalados nos EUA são proibidos em outros países










0Shares


Visualizações 22

Ingredientes encontrados em cerca de 80% de nossos alimentos processados ​​são ilegais em outros países. 

Os ingredientes encontrados em até 80% de todos os alimentos embalados nas prateleiras dos supermercados nos EUA foram proibidos em outros países, de acordo com o livro Rich Food Poor Food: The Ultimate Grocery Purchasing System (GPS) .

Os autores do livro inventariaram os quase 40.000 produtos que povoam o supermercado médio hoje e criaram um guia do consumidor sobre quais ingredientes devem ser evitados.

Dezenas desses ingredientes são ilegais em centenas de outros países.

Aqui estão alguns dos piores:

Óleo vegetal bromado – uma substância encontrada em Mountain Dew e Fresca que foi proibida em mais de 100 países.

Como afirmam os autores, o óleo vegetal bromado “tem sido associado a basicamente todas as formas de doenças da tireoide – do câncer às doenças autoimunes – conhecidas pelo homem”.

Corantes alimentares – Os corantes alimentares, como o amarelo nº 5 e o amarelo nº 6, são feitos de alcatrão de hulha, um ingrediente ativo do xampu contra piolhos ligado a alergias, TDAH e câncer em animais.

Bisfenol-A – BPA é um produto químico usado em garrafas plásticas, recipientes de armazenamento de alimentos e no revestimento da maioria dos produtos enlatados e mamadeiras.

É um conhecido desregulador hormonal. Ele imita o estrogenio, causando puberdade em meninas de 7 anos. O Canadá se tornou o primeiro país a proibir o BPA em 2010.

Culturas GM – Um número crescente de países está proibindo a venda e/ou o cultivo de culturas geneticamente modificadas.

Além do fato de que não há estudos demonstrando que os organismos geneticamente modificados são seguros para consumo humano, as culturas GM estão carregadas de pesticidas.

Muitos cultivos GM são modificados para produzir seus próprios pesticidas. Outros são projetados para suportar aplicações pesadas do herbicida tóxico Roundup.

O Roundup é proibido em quase todos os países europeus.

Hormônios de crescimento e antibióticos. Por causa dos estimuladores de crescimento, como a ractopina e todos os tipos de antibióticos, mais de 160 países dizem “não” às carnes dos EUA.

Fertilizantes químicos. De 1990 a 1995, 600 empresas diferentes de 44 estados enviaram 270 milhões de libras de lixo tóxico para fabricantes de fertilizantes e fazendas. Os resíduos não foram tratados para remover substâncias tóxicas, incluindo arsênico e dioxinas.









0Shares





Acesse o link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade